RHLTAssociação para o Desenvolvimento Turístico e Patrimonial das linhas de Torres Vedras

Quem Somos

A Rota Histórica das Linhas de Torres é uma Associação para o Desenvolvimento Turístico e Patrimonial das Linhas de Torres Vedras, sem fins lucrativos, constituída pelos municípios fundadores de Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira e que quer acolher outras entidades públicas e privadas, pessoas singulares ou coletivas, que possuam interesse na valorização patrimonial e promoção turística das Linhas de Torres Vedras; bem como manter relações de cooperação e colaboração com outras associações nacionais e estrangeiras que tenham objetivos semelhantes.

Missão e Objetivos

Missão

  • Contribuir para o desenvolvimento sustentado do território das Linhas de Torres, através da salvaguarda, conservação e valorização do património das Linhas de Torres e da sua promoção enquanto produto turístico e cultural.

Objetivos

  • Proteger e valorizar o património cultural, ambiental, histórico e urbanístico associado às Linhas de Torres. 
  • Estimular o intercâmbio de experiências, ao nível da investigação, conservação e restauro do património.
  • Contribuir para uma política de produção e promoção turística sustentável.
  • Cooperar com parceiros público-privados para criar um maior nível de atração do destino Rota Histórica das Linhas de Torres.
  • Criar uma estratégica de comunicação da RLHT e afirmar a sua Marca no mercado do património de referência.
  • Colaborar com os agentes culturais, económicos e turísticos, procurando criar riqueza e mais-valias para o desenvolvimento da região, prestando o seu apoio ao desenvolvimento de ofertas adequadas às necessidades do turista e desenvolvendo políticas de promoção e influência.
  • Promover a consciencialização da importância histórica e patrimonial deste Monumento.

Historial

Antecedentes

Há várias décadas que os municípios e o Exército Português têm partilhado a preocupação de preservar e valorizar as Linhas de Torres Vedras. Em 2000, os municípios ARRUDA DOS VINHOS, LOURES, MAFRA, SOBRAL DE MONTE AGRAÇO, TORRES VEDRAS E VILA FRANCA DE XIRA desenharam um projeto de salvaguarda, valorização e divulgação das Linhas de Torres, através de um rastreio da existência das obras militares que integraram o sistema de defesa erguido no início do século XIX, a norte de Lisboa, bem como o seu diagnóstico de conservação.

Desse trabalho resultou, em 2002, o Programa para a Salvaguarda, Recuperação e Valorização das Linhas de Torres Vedras, trabalhando os municípios envolvidos, em parceria com o extinto Instituto Português do Património Arquitetónico (IPPAR), num programa de preservação e requalificação destes sítios.

Plataforma Intermunicipal para as Linhas de Torres (PILT)

Em 2006, a necessidade de uma ESTRATÉGIA COMUM para a salvaguarda, recuperação e promoção do património das Linhas, levou os seis municípios a constituírem uma Plataforma Intermunicipal para as Linhas de Torres (PILT), que trabalhou de modo efetivo ao longo de sete anos. A sua principal missão foi estabelecer critérios comuns para a gestão e comunicação deste património e para a criação de um produto cultural e turístico de qualidade. As ações consertadas refletiram-se na adoção de boas práticas comuns e contaram com o contributo de outros parceiros, que com o seu know-how têm sido colaboradores determinantes (Exército Português, a DGEMN - IGESPAR, o Turismo de Portugal).

A criação da Plataforma Intermunicipal consubstanciou e sistematizou toda uma grandeza de trabalho, produzido ao longo de mais de uma década. Anos consecutivos de diligências e empenho municipais configuraram uma capacidade de sucesso, apenas possível com a persistência e o apoio de todos. Ficou assim explicado, garantido e assegurado não só o Princípio da Estabilidade mas também, o dever de Cooperação de todos os elementos que constituíram a PILT.

EEA Grants 2007-2011: A grande aposta

Ainda em 2006, a estreita colaboração entre a DGEMN / Direção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais e os seis municípios resultou na elaboração de uma candidatura internacional que possibilitasse pôr em prática o plano de salvaguarda e valorização das Linhas de Torres Vedras. Assumiram-se prioridades de intervenção e juntou-se à questão patrimonial a vertente da sustentabilidade económica, baseada na gestão turística do território "RHLT".

O projeto candidato ao EEA Grants teve por base a recuperação, salvaguarda e valorização deste elemento identitário nacional e a sua transformação num valioso recurso educativo, ao serviço de questões tão diversas como a Cidadania, o Ambiente ou a História Europeia.

O apoio do EEA Grants permitiu aos seis municípios portugueses construírem os alicerces para a criação de uma Rota Histórica das Linhas de Torres, investindo na investigação histórica e arqueológica; em trabalhos de conservação, restauro e musealização dos sítios. Viabilizou a criação e/ou reabilitação de acessos para os Fortes e de estruturas de conforto para o visitante; a recuperação de troços de estradas militares, a criação de percursos de visita e trilhos pedestres e de uma rede de centros de interpretação, bem como a concretização de projetos comuns relacionados com a comunicação e promoção deste património, entre os quais seminários, workshops, edições, presenças em feiras de turismo e merchandising.

Prémios

Europa Nostra

O Prémio da União Europeia para o Património Cultural / Prémios Europa Nostra distinguiu a Rota Histórica das Linhas de Torres na categoria de Conservação e foi entregue a 05 de maio de 2014, em Viena (Áustria).

Para a atribuição do prémio, o júri teve em conta os seguintes fatores: a importância de preservar esta estrutura militar pelo papel que desempenhou na história portuguesa e europeia; as numerosas vantagens intermunicipais para as diferentes autoridades envolvidas no território da RHLT; e a possibilidade que o novo percurso definido oferece para encorajar um novo público a descobrir a região. A opção de um projeto de arquitetura contemporânea para os centros de interpretação foi igualmente muito considerada pelo júri, pela relação que estabelecem entre o passado e o momento presente.

Os 27 projetos premiados, em quatro categorias distintas, foram selecionados entre 169 candidaturas aceites, provenientes de 31 países.

Esta distinção atribuída pela União Europeia e pela Rede Europa Nostra significa para a RHLT o reconhecimento internacional de todo o trabalho de preservação, defesa e valorização realizado neste património cultural da Europa, mas também da identidade histórica nacional e europeia.

The Best in Heritage 

Prémio Turismo de Portugal

Em 2012, o Turismo de Portugal atribuiu à Rota Histórica das Linhas de Torres o Prémio de Melhor Projeto Público de Requalificação.

A distinção reconhece o contributo do projeto para a qualificação do turismo nacional e para a notoriedade de Portugal como destino turístico de excelência. Federico Costa, então Presidente do Conselho Diretivo do Turismo de Portugal, sublinhou que "O projeto (...) contribui para a valorização da oferta da região e para a requalificação do património monumental com a recuperação de fortificações militares assim como de diversos circuitos que possibilitam ao turista conhecer melhor a região. O projeto destacou-se igualmente pela qualidade do acolhimento uma vez que o acompanhamento é feito por técnicos especialistas (...). Merece igualmente destaque o desenvolvimento de parcerias com os diferentes agentes económicos, locais e regionais, nomeadamente ao nível da restauração e hotelaria e ainda as parcerias com as Câmaras Municipais envolvidas. Este projeto constitui-se como um fator importante para o desenvolvimento económico de cada Município e da região (...).".

Fonte: 2011 Prémios. Turismo de Portugal - os melhores de 2011. Lisboa: Turismo de Portugal, 2011, p. 19

Equipa

A Rota Histórica das Linhas de Torres tem uma equipa multidisciplinar constituída por técnicos dos vários municípios parceiros. Trata-se de uma equipa permanente que atua em áreas diversas (arqueologia, comunicação, conservação e salvaguarda, museologia, parcerias nacionais e internacionais, programas e projetos culturais, turismo, entre outras) e que conta sempre que necessário com apports de outros técnicos mais especializados para as temáticas que assim o exijam.

Contactos

Associação para o Desenvolvimento Turístico e Patrimonial das linhas de Torres Vedras (RHLT)

Praça Dr. Eugénio Dias, n.º 12
2590-016 Sobral de Monte Agraço

GPS
390 01'07, 134"N; 09009'05, 520"W

Telefone
+351 261 942 296

Email
rotahistoricalinhastorres@gmail.com

RHLT no facebook