Lisboa: Tribuna da História · 2009

O exército português e as comemorações dos 200 anos da Guerra Peninsular

Resumo

A Guerra Peninsular, pela sua amplitude política, militar e social, permanece como um marco histórico que a memória não apaga. Portugal, por razões geopolíticas, não pôde ficar imune a uma conjuntura que levou a guerra ao seu território. Efetivamente, a posição geográfica, a dicotomia ideológica e a ausência de um aparelho militar coerente com a postura inicial de não neutralidade, favoreceu a presença da guerra no nosso País. Fundamentado na relevância destes factos e na convicção de que a forma como o País ultrapassou este período decisivo e delicado, foi obra de um povo patriota, consciente e determinado, que fez sobressair o seu instinto de sobrevivência, o seu orgulho e a sua identidade, como o fez noutras ocasiões, tantas quanto necessárias, sempre que esteve em jogo a independência e a soberania de Portugal, o Exército decidiu comemorar os 200 anos da Guerra Peninsular, levando a efeito diversas iniciativas e participando em programas de âmbito regional, nacional e até internacional. Em boa hora o fez, pois este projeto permitiu constatar, com grande entusiasmo, o surgimento de um sentido apreço pela nossa História, de orgulho nacional e saudável patriotismo, e sentir de perto o apoio e o reconhecimento das autoridades locais e da população em geral, pelo trabalho que neste âmbito tem sido desenvolvido pelo Exército, em especial nas datas e nos locais em que a luta contra o invasor mais se evidenciou. Fonte: Wook

ISBN/ISSN

978-989-8219-15-2

Localização
BM SMA | 94(469)EXE I (SMA) - 20100468-1
94(469)EXE II (SMA) - 20100468-2