05 de maio 2014

Rota Histórica das Linhas de Torres Homenageada

O Centro Nacional de Cultura prestou homenagem ao projeto Rota Histórica das Linhas de Torres, galardoado com o prestigiado Prémio União Europeia para o Património Cultural - Europa Nostra 2014.

Para além do reconhecimento internacional do trabalho desenvolvido pelos Municípios de Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira na gestão integrada da paisagem, a atribuição deste prémio constitui um impulso na promoção deste singular produto turístico: o mais eficiente sistema de fortificações de campo da História militar, que eterniza um episódio que evoca a herança comum de várias nações europeias.

Presidida pelo Presidente do Centro Nacional de Cultura, Guilherme d'Oliveira Martins, e contando com a presença do Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, Dra. Maria Cavaco Silva e do Secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, entre outros, a cerimónia realizou-se no dia 3 de outubro, no auditório da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, no âmbito da qual foi também atribuído o Prémio Europeu Helena Vaz da Silva para a Divulgação do Património Cultural 2014.

No contexto da homenagem aos galardoados portugueses com o Prémio Europa Nostra 2014, foi efectuada a apresentação do projeto Rota Histórica das Linhas de Torres pela Vereadora da Câmara Municipal de Torres Vedras, Ana Umbelino, tendo ainda sido lida a mensagem proferida pelo Presidente da Europa Nostra, Placido Domingo, rede composta por 250 organizações-membro (associações patrimoniais e fundações), 150 organizações-associadas (entidades governamentais, autoridades locais e organizações) e 1500 membros individuais, que se dedicam à preservação e defesa do património cultural e natural europeu.

PRÉMIO EUROPA NOSTRA a distinção dá a conhecer as melhores intervenções ao nível da preservação, defesa e conservação do património cultural europeu, conferindo visibilidade a restauros exemplares ou a outras iniciativas-modelo nesta área, em quatro categorias distintas, nomeadamente, "Conservação", "Investigação", "Serviço prestado à Sociedade por indivíduos/organizações" e "Educação, prática e sensibilização", Em 2014, os júris destas categorias elegeram 27 projetos vencedores, cujos prémios foram entregues em 5 de maio de 2014, na cerimónia realizada em Viena, Áustria.

ROTA HISTÓRICA DAS LINHAS DE TORRES

As Linhas de Torres constituem um sistema defensivo complexo, cobrindo uma distância total de cerca de 100 kms, construído durante a Guerra Peninsular, e que compreende fortes, fortins, redutos, estradas militares e escarpamentos. Wellington, temendo os planos de Napoleão para atacar Lisboa, e com base nos levantamentos do engenheiro militar Major Neves da Costa, concebeu a construção deste sistema defensivo, executado pela força de trabalho de cerca de 150 mil portugueses e concluído em tempo record, sob total sigilo. Como defesa, as linhas foram inteiramente bem-sucedidas, mas foram abandonadas por quase 200 anos, até à apresentação do projeto da Rota Histórica das Linhas de Torres. O projeto, desenvolvido pela Plataforma Intermunicipal das Linhas de Torres (PILT), teve um custo total aproximado de 6 milhões de euros, sendo que cerca de 2 milhões de euros foram cofinanciados em 74,11% pelo EEAGrants, e contou com o acompanhamento técnico do IGESPAR e apoio do Exército. Teve execução no período de 2007 a 2011 e os seus objetivos centrais foram salvaguardar, recuperar e valorizar uma componente significativa do património arquitetónico/militar integrante das Linhas de Torres Vedras, criando uma rota turística de excelência. Neste âmbito, o projeto implicou extensas pesquisas e investigações arqueológicas, remoção de vegetação e obras de restauro. Cerca de 30 obras militares foram restauradas e foram implementados 6 centros de interpretação em diversos pontos, ao longo das linhas. Além destas ações, foi criada a Grande Rota das Linhas de Torres (GR30) e 6 percursos de visita do complexo militar.

Mais notícias