18 de junho 2018

ASTRONOMIA NO FORTE

No dia 16 de junho, o CILT realizou mais um encontro com as estrelas.


A observação teve início às 21h30, no Circuito de Visita do Alqueidão, com os telescópios apontados na direção da Lua e da órbita dos planetas Vénus e Júpiter. Após 30 minutos, o céu ficou totalmente coberto por nuvens baixas, o que impediu prosseguir a observação astronómica noturna, ao ar livre.

Os 46 participantes foram, então, convidados a visitar o Centro de Interpretação das Linhas de Torres, onde estava preparado para recebê-los um planetário portátil com um projetor de fibra ótica. As duas sessões, de aproximadamente 40 minutos, projetaram o céu noturno e diurno, comentado pelo astrónomo Vasco Elói.

À conversa com ele, falou-nos sobre o movimento de rotação da Terra, a partir da observação da rotação aparente da esfera celeste; identificamos a estrela polar e medimos a latitude no hemisfério norte; vimos os movimentos de rotação e translação lunar e a sua relação com as fases da Lua e os eclipses.

Ainda, dentro do planetário, observamos os tipos e principais constituintes do Sistema Solar; os movimentos aparentes dos planetas na esfera celeste e as suas órbitas; a translação terrestre e consequências no céu noturno; as constelações do zodíaco e seu significado astronómico. Identificamos a Via Láctea e galáxia de Andrómeda; a eclíptica e o equador celeste; ficamos a conhecer a altura do sol ao longo do ano e a determinação das estações (equinócios e solstícios).

O Planetário Portátil STARLAB foi a alternativa encontrada para compensar a "partida" que a meteorologia nos pregou naquela noite de junho. É o único planetário, em Portugal, com projetor de fibra ótica dando imagens de brilho e contraste incomparáveis; a sua cúpula é uma estrutura insuflável com 5 metros de diâmetro onde é projetado o céu com auxílio de um conjunto de quatro cilindros de projeção de imagem e vídeo.

Mais notícias